PESQUISA

As atividades de pesquisa do PET-EQ tem como objetivo capacitar os petianos em relação aos métodos e metodologias de produção de conhecimento científico e análise crítica dos resultados. Sendo assim, todos os membros são responsáveis por uma pesquisa coletiva do grupo, além da pesquisa individual.

PESQUISA COLETIVA ATUAL

EVASÃO NO CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA

A Engenharia Química possui um grau considerável de evasão de discentes durante a graduação. Com o intuito de averiguar esta problemática de forma mais ampla, o PET Engenharia Química realizará uma pesquisa de evasão no curso. Esta, tem o objetivo de otimizar as atividades do PET, ao se realizar o levantamento das disciplinas e conteúdos os quais os discentes possuem maior dificuldade e consequentemente causam maior evasão e retenção no curso. Após a conclusão da mesma, será estruturado ações afirmativas as quais possibilitem a diminuição desta taxa e apliquem a proposta do programa de melhoria da graduação.

Em uma primeira análise será avaliada a taxa quantitativa de desistência do curso, sendo averiguado a relação da taxa de evasão de cada período letivo com a taxa anual. Numa segunda instância, será feita uma pesquisa qualitativa entre os discentes do curso de Engenharia Química, como forma de avaliar e reformular as atividades propostas pelo PET e, dessa forma, atender de forma mais ampla as necessidades dos graduandos.

PESQUISAS COLETIVAS ANTERIORES

RESTAURAÇÃO DE EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NAS AULAS DE LABORATÓRIO DE ENGENHARIA QUÍMICA

O curso de graduação em Engenharia Química da Universidade Federal de Uberlândia possui em sua grade curricular uma disciplina denominada “Laboratório de Engenharia Química”, a qual tem como objetivo criar a oportunidade do treinamento prático na aplicação dos conceitos teóricos de termodinâmica, cinética, reatores, fenômenos de transporte e operações unitárias. No entanto, alguns experimentos deixaram de ser realizados devido à falta de manutenção dos equipamentos e escassez de recursos financeiros. No ano de 2018 o grupo PET Engenharia Química em conjunto com os docentes que lecionam esta disciplina, iniciou um trabalho de restauração destes equipamentos. Inicialmente, optou-se por restaurar uma unidade experimental que permite medir a perda de carga em tubulações. A unidade adquirida pela Faculdade de Engenharia Química (FEQUI – UFU) apresentava vários defeitos, como perda de pressão causada por vazamentos na linha levando a exorbitantes erros de medida, distanciamento entre o diâmetro interno real da tubulação do valor especificado, ausência de escoamento de fluido em regiões com entupimentos e vazamento do fluido manométrico para a linha devido ao aumento da pressão no sistema. Dessa forma, foi iniciada a restauração da unidade. Primeiramente, foi realizada a substituição de tubulações, conexões e válvulas danificadas. Além disso, na etapa de modernização do equipamento, houve substituição dos manômetros de tubo em U por um sensor de pressão e foi adicionado um sensor de velocidade utilizado para efetuar o cálculo da vazão. Posteriormente, um novo método de calibração para o sensor de pressão foi elaborado para facilitar e reduzir a frequência de tal processo. Desse modo, foi proporcionada uma diferença conhecida de altura de uma coluna de fluido e assim construir uma curva de calibração para o sensor. Os petianos, com auxílio do Profº. Dr. Cláudio Roberto Duarte, realizaram as correções necessárias para o funcionamento adequado e pleno da unidade. Portanto, a unidade está apta para ser utilizada na disciplina de Laboratórios de Engenharia Química da Faculdade de Engenharia Química da Universidade Federal de Uberlândia. Ao final, foi elaborada uma proposta de roteiro de experimento para ser aplicada na disciplina de “Laboratório de Engenharia Química”.

DESENVOLVIMENTO DE MODELOS DE CARROS MOVIDOS A REAÇÕES QUÍMICAS

Tal projeto propôs a construção de carrinhos movidos à reações químicas de forma limpa, segura e sustentável para serem utilizados em uma competição interna, entre os participantes do grupo. A competição é denominada TEQ Car e foi inspirada na Chem E CarCompetition, realizada em vários países do mundo e muito conhecida pela comunidade da Engenharia Química nesses locais. Nesta competição, os alunos devem projetar automóveis de pequena escala movidos por uma reação química, bem como fazer uma apresentação descrevendo o fundamento teórico da construção do carrinho e as pesquisas feitas para aprimorá-lo. Durante o ano de 2016 os petianos foram divididos em grupos, buscando construir um primeiro protótipo a fim de definir como funcionaria o carrinho e quais etapas deveriam compor a sua construção. Sendo assim, foram realizadas diversas pesquisas e testados diversos mecanismos nas áreas de alimentação (combustível ou bateria), mecanismo de parada (reações relógio) e aquisição de dados através de respostas elétricas. Para a alimentação foi desenvolvida uma pilha de zinco e ar fornecendo energia para o funcionamento completo de quatro motores de corrente contínua. Já como mecanismo de parada, o grupo optou por uma reação relógio e um sensor de luminosidade LDR (Light Dependent Resistor), que foi acoplado a um arduíno. Quanto maior a luz incidente nesse componente, menor é a sua resistência, utilizando-se desse conceito, incorporou-se um suporte que abarca uma reação química (com mudança na coloração), para que houvesse o controle de luminosidade incidente no sensor. Dessa forma, com o controle de tal reação química foi possível identificar o tempo de movimentação do protótipo, controlando a sua velocidade pela programação do arduino. Vale ressaltar que com o desenvolvimento do trabalho várias áreas de engenharia foram exploradas pelo grupo PET/Engenharia Química, agregando, principalmente, conhecimento eletrônico, estrutural e domínio de processos químicos à equipe.

PROJETO E CONSTRUÇÃO DE UMA UNIDADE DE TRATAMENTO DE ÁGUA EM ESCALA DE BANCADA

Diante da necessidade de conscientização da população, no que diz respeito ao uso da água e a sua recuperação através de processos de tratamentos, essa atividade propôs projetar e construir uma miniestação de tratamento de água pelos membros do PET EQ – UFU e alunos do Ensino Médio com o intuito de usar essa unidade de bancada em palestras educativas nas escolas públicas da cidade de Uberlândia.

Nesse sentido, desejava-se alcançar os seguintes resultados com esse projeto: possibilitar aos alunos de escolas públicas a visualização e compreensão de importantes fenômenos físico-químicos (escoamento, agitação floculação, sedimentação, filtração, neutralização etc.) na miniestação de tratamento de água; conscientizar os alunos de escolas públicas sobre a importância dos recursos hídricos, sua conservação e minimização dos efeitos poluidores; despertar nos alunos de escolas públicas a vocação para as ciências exatas, bem como motivá-los para que cursem Engenharia e motivar os graduandos de engenharia a permanecerem no curso, dando-lhe oportunidade da aplicação de conceito teóricos em trabalhos práticos de extensão.

O grupo PET Engenharia Química da Universidade Federal de Uberlândia (PET-EQ) escolheu esse tema pela possibilidade de alcançar um equilíbrio entre pesquisa, ensino e extensão na execução desse projeto. A visão de engenharia somada aos estudos necessários para o dimensionamento e construção da unidade garantiu a atividade um caráter de pesquisa coletiva do grupo PET-EQ. Ao mesmo tempo a oportunidade de conscientização e aprendizado dos alunos das escolas da rede pública através da unidade de tratamento volante caracterizou uma atividade de extensão. Por se tratar de um assunto que envolve conceitos fundamentais para a formação complementar de um engenheiro químico, a atividade também envolve ensino.

PESQUISAS INDIVIDUAIS

Como forma de pesquisa individual, os petianos se distribuem em atividades de pesquisa das diversas áreas da Engenharia Química.

Gabriel“Estudo da reologia de fluidos não newtonianos em hidrociclones otimizados”
Giovana“Avaliação do processo de fermentação alcoólica empregando altas concentrações de açúcar (VHG)”
Ignácio“Estudo experimental e numérico da dinâmica de partículas em um tambor rotatório”
Igor"Estudo da dinâmica de partículas em um disco rotatório empregando a abordagem numérica lagrangeana"
Jayc - "Éterificação catalítica de glicerol em reator contínuo"
Laura“Produção de etanol empregando semente de sorgo”
Letícia“Imobilização de beta galactosidase de Kluyveromices marxianus em resina Duolite A-568”
Nycole"Produção de L-asparginase fúngica por fermentação em diferentes matrizes sólidas"
Oscar“Metodologias alternativas na desidratação de produtos e resíduos agroindustriais”
Thabata“Metodologias alternativas na desidratação de produtos e resíduos agroindustriais”
Victor“Avaliação do processo de produção de ficobiliproteínas de cianobactérias e purificação por sistems aquosos bifásicos”
Warlen“Produção de etanol empregando semente de sorgo”
Washington - “Avaliação da Influência de Nanoparticulas na Contaminação de Fluido de Corte”